A verdade por trás da terrível espinha

A acne é popularmente conhecida como “espinha”.

Pode até parecer nojento, mas atire a primeira pedra aquele que não gosta de ficar vendo aqueles vídeos na internet onde as pessoas ficam apertando, ou “espremendo espinhas”. Pode até ser legal ver, mas é um terror para quem sofre desse problema.

A acne é uma alteração cutânea, inflamatória do folículo piloso (pelo), podendo surgir em várias regiões do corpo, como no rosto, colo, tronco e costas. É uma doença que causa grande impacto emocional na autoestima de adolescentes e adultos e quando não tratada adequadamente pode deixar cicatrizes para toda vida.

Suas causas
O aumento da secreção sebácea está diretamente ligado à presença de hormônios, motivo pelo qual a ocorrência de acne é mais comum nos adolescentes. Mas a acne pode acompanhar a vida adulta, principalmente em casos de desordem hormonal.

Ela também pode ser por causa genética, passada dos pais para os filhos. E claro, a maneira como você cuida do seu rosto diariamente também é um fator determinante para o aparecimento da acne.

Classificação
A acne é classificada como acne não inflamatória (sem sinais inflamatórios) ou seja quando apresenta somente os indesejados “cravos” (comedões), sendo também classificada como grau I.

E acne inflamatória, com a presença de inflamação (pus), classificada grau II. Sua classificação vai até grau V, porém tratamento tópico com o uso de cosméticos é eficiente até o grau II. É necessário acompanhamento de um médico dermatologista acima do grau III.

Produtos
Qualquer produto com base oleosa (creme) é contra indicado para pele acneica. Sabonetes líquidos são os mais indicados na higienização. Produtos em gel-creme ou fluidos são as melhores opções de cosméticos.

Tratamento
É importante que se entenda que o tratamento não é uma questão apenas estética, mas também de saúde.

Os procedimentos estéticos escolhidos para acompanhamento de peles acneicas devem priorizar a diminuição dos sintomas, como a oleosidade, hiperqueratinização e lesões inflamatórias.

A pele deve ser tratada devidamente com ativos secativos e submetida a limpeza com extração para eliminação de toda sujidades. Além disso, é preciso estimular bons hábitos de higiene diária com a pele, para manutenção dos resultados obtidos no tratamento.

Cicatrizes
Mesmo com a melhora no tratamento, a acne pode deixar cicatrizes. Elas podem ser hiperpigmentadas (marcas escuras) e atróficas (profunda, abaixo do nível da pele). Nesses casos o microagulhamento e o peeling são recursos muito usados e que apresentam excelentes resultados.

Gostou das informações? Então acompanhe com a esteticista Leticia Vinhas e a Hair Style Valéria Lima, do Ateliê da Beleza, tudo sobre o mundo da beleza e de tratamentos estéticos no Beleza Digital. A coluna vai ao ar sempre aos sábados.

Acompanhe também pelo Facebook e Instagram do Varginha Digital.

Leticia Vinhas – Esteticista

Leticia Gabriela Aparecida Vinhas
Esteticista no Ateliê da Beleza, em Varginha. Graduada no Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética pelo Unis – Centro Universitário do Sul de Minas.  Especialista em Estética Facial e Corporal.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome