Confira a entrevista com o candidato Vérdi Lúcio

As perguntas foram formuladas de acordo com o plano de governo de cada candidato.

entrevista verdi
Foto: reprodução

Entrevista com o candidato Vérdi Lúcio.

Dentro da cobertura das Eleições Municipais 2020 o Varginha Digital convidou os sete candidatos a prefeito de Varginha para uma rodada de entrevistas e todos aceitaram participar. Por ordem de sorteio, comunicada a todos os candidatos, a terceira entrevista é com o atual prefeito da cidade e candidato Vérdi Lúcio (Avante).

As perguntas foram baseadas em seu plano de governo e levando em consideração às necessidades da população, bem como os pontos deficientes em diversas áreas da cidade, que causam muita insatisfação aos varginhenses.

Confira as perguntas e as respostas na íntegra:

O senhor pretende, se eleito, rever o Plano de Carreira, Cargos e Salários. O que os servidores públicos podem esperar desta proposta?

Começando pelo básico, na gestão de Antônio Silva e Vérdi os salários sempre foram pagos em dia e os 13º salários sempre pagos com adiantamento. É importante ressaltar, também, que em 2020 houve um aumento salarial de 10%

Houve, ainda, o aumento no tíquete-alimentação dos servidores – que está entre os maiores tíquetes da região do Sul de Minas – e o aumento no subsídio de despesas médicas.

Com o encerramento das atividades do ISA, foi criado a CASSERV, entidade atual que vem administrando as necessidades de internações dos servidores e dependentes. A CASSERV nasce do anseio dos servidores públicos municipais de Varginha em obter serviços na área de saúde de qualidade, sem o intermédio de planos particulares, com custeio bipartite, entre o associado e a prefeitura. Nossa gestão também reestruturou a Segurança do Trabalho, agora prestando serviços com muito mais qualidade.

Para os próximos 4 anos: plano de carreira, cargos e vencimentos. O plano de carreira do Servidor Municipal foi implementado há 20 anos pelo ex-prefeito Antônio Silva, mas era muito rígido. Então, fizemos uma revisão através de projeto de lei junto a câmara municipal, promovendo uma flexibilização de forma que todos os servidores tenham oportunidade de promoção e crescimento dentro da administração.

Como funcionará na prática a proposta “Cidade Inteligente”?

Trata-se de um projeto amplamente moderno, que tem como objetivo conectar a cidade em todos os seus vetores de desenvolvimento, incluindo também o poder público municipal, que já iniciou este processo. Podemos citar alguns exemplos, como a instalação de câmeras de monitoramento, a inclusão de projetos pela Secretaria de Planejamento, hoje digitalizados e de maneira rápida, bem como o grande incentivo aos projetos de mobilidade urbana.

Em nosso plano de Governo temos como diretrizes o desenvolvimento de etapas à médio prazo, trazendo ainda mais modernidade e inovação para o município. O projeto resulta na união entre Tecnologia da Informação e Comunicação, tendo a finalidade de coletar informações e desenvolver soluções inovadoras para os problemas cotidianos. Em resumo, é o uso da tecnologia para promover um consumo mais inteligentes dos recursos da cidade.

Objetivos:

  1. PROMOVER DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, com identificação e desenvolvimento das áreas de economia local, criando política de capacitação com foco em economia criativa;
  2. OTIMIZAR A GOVERNANÇA, desburocratizar processos, agilizar as tomadas de decisões e reduzir custo da máquina pública;
  3. ELEVAR A QUALIDADE DE VIDA, busca de soluções inovadoras e sustentáveis para os cidadãos aproveitarem a cidade;
  4. SISTEMA MODERNO E INTEGRADO, com dados de todas as áreas, permitindo mineração de cruzamento;
  5. BUSINESS INTELLIGENCE, ferramenta que realiza o monitoramento de indicadores de desempenho referentes à demanda de serviços prestados à comunidade. Assim, teremos acesso aos comparativos de dados que apontam as situações que mais requerem atenção, o que facilita a tomada de decisão e contribui para melhorar o planejamento e gestão do município.

Resultados à médio prazo:

  1. Otimização dos recursos da prefeitura;
  2. Gestão financeira de investimento baseado em informações geradas pelo próprio município;
  3. Comunicação direta entre gestores e cidadãos;
  4. Gestão da frota de veículos;
  5. Implantação de projetos tecnológicos e de gestão nas áreas da educação e saúde.

Em seu plano de governo, uma das propostas é diminuir a evasão escolar modernizando o sistema educacional e ampliando sua qualidade. Como isso seria feito?

Oferecendo aos alunos ainda mais recursos de aprendizado, tais como: cursos de inglês, informática, além do foco na inovação e no empreendedorismo, principalmente para os alunos de 6º ao 9º ano.
Incentivar uma Educação empreendedora é empoderar nossos alunos e gerar valor para toda a vida.

Uma de suas propostas é implantar o Hospital da Criança, mas este projeto já havia sido prometido para atual gestão. Por que esta obra não foi concluída?

Transcrevo a manifestação do ex-prefeito Antônio Silva, a qual não só comungo como estou concretizando, veja:
“Tenho acompanhado manifestações de candidatos cobrando a construção do Hospital da Criança, ideia minha e compromisso que assumi para o mandato de 2017/2020. Eis a verdade a respeito dessa obra, que em nenhum momento deixou de ser prioritária, a par das crises que enfrentamos e vencemos. O Hospital da Criança era um compromisso do meu programa de governo de 4 anos, para o mandato 2017/2020. Em nenhum momento, deixou de ser prioridade e, desde 2017, foram implementadas sucessivas ações em direção à execução da obra: levantamento de áreas, possibilidade da permuta para aquisição da área atual, projeto de lei, aprovação e promulgação da lei autorizando a permuta, escrituras, levantamento topográfico, elaboração do projeto arquitetônico, remessa à ANVISA, alterações exigidas, volta à ANVISA, aprovação por ela, providências para incorporação da rua fundindo a área com a do HBP, negociação e pagamento à CEMIG para remoção da rede elétrica, aprovação do projeto na prefeitura, diversas licitações (várias delas frustradas) para contratar empresa para elaboração dos projetos complementares (estrutural, elétrico, hidráulico, telefonia e tecnologia, etc.) e, finalmente, a licitação da obra, que só agora chegou a bom termo. Nesses anos, sempre reservamos dotação orçamentária para esta obra, inclusive neste ano de 2020. O resto é balela e demonstração de total desconhecimento de como funciona a administração pública”.

Entre as ações de cultura estão as propostas de retornar com a Feira da Paz e manter as festividades carnavalescas. Como o senhor pretende viabilizar eventos deste porte garantindo a segurança do público?

A segurança da população é nossa prioridade. Por isso, nesse momento, qualquer evento de grande porte está fora dos planos. Pensando no futuro é importante analisarmos e planejarmos sua execução, com toda segurança necessária. Desta maneira, precisamos pensar que, além da segurança tradicional, com revistas e presença ostensiva da Polícia Militar e Guarda Municipal, em casos de eventos de grande porte podemos também contar com a inovação e tecnologia trabalhando a favor da segurança.
O monitoramento por câmeras e drones são bons exemplos desta união, que certamente traz mais segurança para as famílias que estão presentes em eventos.

Na área do esporte grande parte de suas propostas é concluir obras já em andamento. Há outras propostas mais efetivas para o estímulo da prática de esportes na cidade?

Estamos, sim, finalizando as obras para melhorar nossa estrutura física desportiva, a exemplo do Centro de Iniciação ao Esporte, na avenida Zoroastro Franco de Carvalho no bairro Santa Maria, que vai oferecer diversas modalidades esportivas, olímpicas e paraolímpicas para incentivar nossos jovens que sonham em ter acesso à prática esportiva de alto nível. Além disso, estamos concluindo um ginásio no complexo SEMEL, para demais atividades.

Mas, respondendo a sua pergunta, temos, sim, outras propostas:

Utilizar o Esporte como ferramenta de transformação social em parcerias com a Educação, Saúde e parcerias públicos privado.

Educação – Criar polos de atividades esportivas em outros pontos da cidade: Imaculada, Sagrado Coração, Bom Pastor e Damasco.

Saúde – Otimizar as atividades físicas das academias de ruas nos pontos já existentes, além de integrar os PSFs na indicação da prática de atividades físicas, como promoção da melhoria da qualidade de vida.

Academias de rua: otimizar os projetos de caminhadas, escolinhas, equipes de competição, atividades físicas para adultos e melhor idade.

Teremos os polos específicos da SEMEL e o CIE para receber as equipes olímpicas e prepará-las para as diversas competições. No CIE, iremos iniciar um projeto para o desenvolvimento de esportes paraolímpicos, provendo a inclusão em todas os setores.

O senhor pretende, se eleito, manter e ampliar as parcerias do município com a Polícia Militar, a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Federal. Como este trabalho será feito?

Certamente! O desenvolvimento de parcerias é fundamental para ampliar cada vez mais a segurança em nossa cidade. Entre as ações que estamos planejando, estão a promoção de uma fiscalização mais eficiente, com instalação de câmeras em novos pontos estratégicos da cidade, o fortalecimento do disque denúncia, um combate a queimadas mais severo, com o aumento no valor das multas, e a capacitação contínua da nossa Guarda civil.

Não podemos deixar de citar alguns pontos, também presentes em nosso Plano de Governo, como: implementar novas tecnologias em todo o sistema, a fim de melhorar a eficiência e rapidez no atendimento; reestruturar a Patrulha Escolar, reforçando a proteção dos alunos de todas as escolas da Rede Pública do município, culminando na aproximação da comunidade com a GCM; reestruturar o GGI – Gabinete de Gestão Integrada, como instrumento de conexão democrático para todas as esferas da segurança pública; instalar novas câmeras e equipamentos tecnológicos, de modo que a estatística seja utilizada para a elaboração de programas de prevenção e investigação de crimes consumados, e sirva de apoio aos demais órgãos de segurança; criação do Plano Municipal de Segurança.

Além de construção de via perimetral, interligando as avenidas Celina Ottoni, Contorno, dos Tachos e dos Paivas, o senhor tem outras propostas relacionadas para o setor de obras para os próximos quatro anos, caso seja eleito?

São muitas e quero citar algumas delas: concluir o complexo viário no bairro Santa Maria, uma obra que sempre sonhei realizar, desde meu primeiro mandato como vereador em 1996. Readequar os novos loteamentos ao Plano Diretor, recapear mais de 100 ruas e avenidas da cidade, revitalizar o Ribeirão Horizonte, que fica abaixo do shopping, e também o Ribeirão Santana, próximo à Feira do Produtor.

Vamos concluir o Hospital da Criança, completar a revitalização do Centro Comercial de Varginha e colocar lama asfáltica em mais de 100 km de estradas na zona rural. Por fim, mas não menos importante, gostaria de citar também a construção do barracão no aterro sanitário, para realização de reciclagem do lixo através da cooperativa dos catadores.

Na área do Meio Ambiente, a proposta é revitalizar e ampliar os parques da cidade, como isso será feito? Por que não foi feito na atual gestão?

No ano de 2018, tivemos uma escassez de recursos na prefeitura como um todo. Com isso, os investimentos nos parques tiveram que ser adiados. Já em 2019 fizemos muito, como por exemplo, as melhorias estruturais que realizamos nos parques, deixando-os em melhores condições para receber nossa população: as grades protetoras dos parques Novo Horizonte e Centenário foram reformadas e pintadas.

Além disso, também reativamos a prática da pescaria recreativa nestes dois parques.


Já no parque São Francisco, fizemos melhorias em todo o seu entorno, numa área total de 130 hectares. Graças a esse trabalho de manutenção, desde 2013 não temos mais casos de incêndio no local. Em 2020, em decorrência da pandemia, os investimentos que iríamos fazer nos três parques acima tiveram que ser adiados, uma vez que os recursos foram canalizados para a Saúde. Agora, no nosso próximo governo certamente conseguiremos realizar todos esses investimentos.

Esse ano, nós tivemos a aprovação pela Câmara de vereadores para o Fundo Municipal do Meio Ambiente, que conta com recursos para todas essas obras. Vamos revitalizar todos eles, com previsão de um investimento maior no Parque São Francisco.

Queremos transformar o espaço unindo a natureza e tecnologia, com a construção de salas multimídias para atender estudantes. Teremos novos banheiros para receber os visitantes e lanchonetes, além de reativar os viveiros de muda, e da construção de um mirante no ponto mais alto do parque São Francisco.

Como vai funcionar o “Programa Empresa Cidadã”?

O Projeto Empresa Cidadã será ampliado, ou seja, queremos que as empresas participem também do processo de desenvolvimento econômico e social. Há a possibilidade de se criar o Fundo de Desenvolvimento Econômico, para a doação de áreas para empresas que queiram ampliar e se instalar no município.

Queremos incentivá-las às práticas de esporte, lazer e integração com a sociedade, sobretudo na região da cidade em que estiver inserida. Abrir um diálogo com o futuro Conselho de Desenvolvimento de Econômico, que será criado para discutir todas as dimensões de um ecossistema de inovação, tecnologia e apoio à comunidade.

O senhor afirma que quer adequar os novos projetos de habitação popular ao Plano Diretor Municipal. Como seria isso?

Quando se fala em Plano Diretor, pensamos no desenvolvimento da cidade, no rumo que Varginha vai ter daqui pra frente. O Plano Diretor trata com muito carinho os locais em que já existem habitações populares e os que estão por vir. Nós já formalizamos e mapeamos estas áreas e, agora, vamos implantar programas específicos tanto na área tributária quanto em outras searas.

Uma coisa importante a se lembrar é que nós trabalhamos para que o lote mínimo das habitações populares passasse a ser de pelo menos 200 metros. Anteriormente, nós tivemos lotes de tamanho menor. No entanto, entendemos que o lote de 200 metros dá mais dignidade às famílias que vão habitá-lo, comportando até mesmo eventual ampliação no número de membros da família.

Em resumo, nosso objetivo é seguir o que determina o Plano Diretor e ir além, no sentido de obedecer às normativas de lote mínimo e instituir programas que atendam os locais novos e os já existentes.

O senhor acredita que o combate ao coronavírus e as medidas de prevenção ao Covid-19 que o senhor implantou em Varginha têm sido eficientes?

Antes de qualquer palavra sobre o momento que vivemos, precisamos lembrar das famílias que perderam um ente querido e prestar a elas solidariedade e respeito. Porém, de volta aos números, se fizermos uma análise, tivemos uma taxa de incidência e de mortalidade pequena se comparada a outras cidades do mesmo porte. Não tivermos desassistência, criamos portas de entrada e oportunidades para todas as pessoas buscarem atendimento, ampliamos a nossa capacidade instalada de leitos, geramos oportunidades para tratamento precoce e adequado.

Agindo rápido, tivemos uma taxa de transmissão de 0.98, que é considerada muito baixa. Além disso, é importante destacarmos a criação do Hospital de Campanha no campus da Unifal, com 56 leitos, sendo 20 deles de UTI’s. Também implantamos os ambulatórios de síndromes gripais nas Unidades Básicas de Saúde do Bom Pastor, Canaã, Santana e Barcelona, que atendem de segunda a sexta-feira, das 15h às 21h, e aos sábados das 7h às 15h.

Equipamos a UPA e o Hospital Bom Pastor para melhor atender nossos pacientes e para oferecer total segurança aos nossos médicos e demais profissionais. Ou seja: soubemos enfrentar de maneira segura e coerente a doença. Criamos campanhas educativas para o uso de máscaras, distanciamento social e uso de álcool gel, e fomos ouvidos pela maior parte da população, que aderiu às medidas preventivas.

Mantivemos a divulgação diária do boletim informativo da Covid, fornecendo total transparência das nossas ações. Criamos um Gabinete de Gerenciamento de Crise para a tomada de decisões, abrindo o diálogo com representantes das classes médica, empresarial, comerciantes e de segurança. Assim, tomamos decisões equilibradas e corretas, sempre ouvindo a Comissão de Enfrentamento, formada por diversos membros da sociedade. Temos a certeza que as medidas foram ágeis e eficazes, mas o trabalho não acabou e ainda continuamos nossa luta contra a Covid-19.

O senhor tem propostas para os eleitores da comunidade LGBTI+? Existe algum projeto que trata de discriminação, homofobia e geração de emprego para estes eleitores?

Existe um projeto que visa implementar ações governamentais promovendo articulações entre órgãos municipais e entidades beneficentes ou de assistência social, assim como entidades da sociedade civil, para a criação de uma Associação/Centro de Cidade LGBT+, que contará com informações e mobilização em políticas públicas de combate à LGBTfobia e promoção da cidadania, além de serviço de atendimento jurídico, social e psicológico e de encaminhamento para vagas de emprego na cidade.

A reforma do centro comercial gerou muita polêmica, principalmente pelo fato das obras entregues não terem seguido o proposto originalmente. Por que isso aconteceu?

O projeto original tornou-se inviável em decorrência do alto culto. No entanto, o que estamos executando, após sua conclusão, atenderá à expectativa dos comerciantes.

Qual é a sua proposta para a linha férrea? O senhor vê a possibilidade da reativação dos trens ou a criação de ciclovias?

Já existe um projeto coordenado pelo empresário Cleber Marques de Paiva, de aproveitamento da ferrovia como meio de transporte, cujos recursos serão de investidores do exterior.

Um ponto fraco do nosso município, é o turismo. Podemos notar que há pouco investimento em atrativos para visitas à cidade. Qual seu plano para essa área? Existe algum plano para a exploração do “ET de Varginha”?

Em Varginha já existe o turismo de negócio, principalmente ligado ao café. Assim, pretendemos implementar ainda mais o turismo rural, tendo em vista a existência das propriedades cafeeiras na cidade. Defendemos, ainda, o aumento da cota mínima do volume de água na Represa de Furnas para fomentar o turismo.

Quanto aos planos para exploração do ET de Varginha, temos o Memorial do ET, cuja obra já está concluída, e pretendemos otimizá-la com a instalação de um observatório em parceria público-privada, para que não haja custos para o município. Inclusive, existe também o interesse de uma universidade de explorar o Memorial com atividades voltadas para a tecnologia.

Além disso, temos interesse em trazer para a cidade o Congresso Internacional de Ufologia, que deveria ter acontecido no ano passado e só não foi realizado em razão de problemas com um palestrante internacional. Essas ações fomentam o comércio local, bem como a rede hoteleira, além de atrair turistas para a cidade.

O senhor tem alguma proposta para viabilizar o uso do prédio do Cine Rio Branco?

Com relação ao Cine Rio Branco é importante destacar que se trata de um prédio particular que se encontra em processo de inventário, tendo em vista que o proprietário faleceu. Portanto, existe uma certa dificuldade na sua aquisição, mas vamos articular junto aos órgãos estaduais e federais, no sentido de que possamos dar vida ao Cine Rio Branco, aproveitando para integrá-lo ao calendário cultural da cidade, até mesmo para eventos voltados para o café.

Existe alguma proposta para tornar Varginha um polo tecnológico investindo, por exemplo, no conceito “Cidades Inteligentes”?

Sim. Varginha já vem se tornando referência neste sentido. Primeiro com várias indústrias e empresas instaladas no município, fabricando produtos de alta tecnologia, como o complexo Philips, que hoje já investe nas lâmpadas LEDs; outras linhas de produtos na área médica como a produção de equipamentos de Ultrassonografia, ressonância magnética, dentre outros. Ainda no mesmo ambiente, empresas de base tecnológica na essência de seus produtos. Varginha se destaca muito na área de serviços e consequentemente investimentos em tecnologia neste segmento vem ocorrendo com muita intensidade. Recentemente foi criado o HUB de Inovação de Varginha – Cesul Lab, que congrega dezenas de empresas focadas na inovação e novas tecnologias para os seus novos produtos, processos e serviços.

Todos estes serviços e produtos derivados de um polo tecnológico atenderão o desenvolvimento do Projeto Cidade Inteligente, por meio dos novos empreendimentos já sinalizados e em andamento, como o vetor Norte da cidade e no entorno do Porto Seco e cidade Universitária, conectando em breve toda a região urbana no conceito de Cidade Inteligente.

Sobre as secretarias do seu governo, caso eleito, que manterá e quais criará?

Não haverá alteração no quadro de secretarias.

Como será o processo de escolha para quem vai integrar seu gabinete, secretários e cargos de confiança? Já tem definição dos nomes? Se sim, quais serão? Quais são os critérios que o senhor pretende utilizar para fazer as nomeações?

Toda nossa equipe será constituída levando em consideração o perfil profissional e técnico, de forma que atenda às necessidades da Administração.

O transporte coletivo é uma das principais reclamações dos varginhenses. A atual empresa ganhou, em dezembro de 2018, a licitação para atuar nos próximos 15 anos. Como o senhor pretende resolver a situação, caso seja eleito?

A licitação não foi concluída, tendo em vista que houve vários questionamentos técnicos por parte de outras empresas. O processo licitatório encontra-se atualmente no Tribunal de Contas para análise. O contrato está em estado precário e tão logo seja liberado, nós vamos concluir o processo para melhorar a qualidade do serviço, a pontualidade e, sobretudo, reavaliar o custo das tarifas.

Seu plano de governo tem 32 páginas. O senhor acredita que conseguirá cumprir tudo o que está propondo?

O Plano de Governo é uma síntese que demonstra o que pretendemos fazer durante a administração, podendo as ações serem ampliadas de acordo com o momento e as necessidades. Todavia, o nosso plano será cumprido na sua integralidade.

A população de Varginha tem demonstrado muita insatisfação com o serviço prestado pela Copasa. Algumas cidades da região, como Pouso Alegre, estão avaliando a possibilidade de quebrar o contrato com a Copasa e contratar uma nova empresa para execução do serviço. Qual é a sua proposta para esta situação, caso seja eleito?

Vamos fiscalizar, assim como já temos feito, os serviços da Copasa, cobrando o que está no contrato. Estamos trabalhando para que as tarifas dos serviços sejam as mais módicas possíveis. Inclusive, nesse sentido, notificamos na semana passada a Agência Reguladora de Água e Esgoto de Minas Gerais – ARSAE, para que reveja seus valores tarifários.

Quais razões levaram você a colocar seu nome à disposição para o cargo de prefeito de Varginha?

Quando me mudei para Varginha ainda criança, a cidade me acolheu e proporcionou várias oportunidades em minha vida. Ser prefeito da cidade faz parte dos meus sonhos como forma de gratidão a tudo que essa cidade me proporcionou.

Faça as suas considerações finais

Estamos apresentando as nossas propostas, que são viáveis em termos orçamentários e financeiros, com o objetivo de melhorar a vida das pessoas cada vez mais. Estamos preparados para enfrentar os desafios com experiência, responsabilidade e sobretudo, ousadia e trabalho!

Veja aqui o perfil e as propostas do candidato Vérdi Lúcio

# entrevista vérdi lúcio

As Eleições 2020 acontecem no dia 15 de novembro.

Veja mais notícias sobre as Eleições 2020 aqui

Veja as propostas dos candidatos a Prefeito de Varginha aqui

Acompanhe a Agenda dos Candidatos à Prefeitura de Varginha


whatsapp varginha digital noticias

Se você encontrou alguma imagem ou texto em que os direitos autorais não foram creditados, por favor, entre em contato conosco para efetuarmos a correção.

Veja também

Siga-nos nas Redes Sociais

Novos Caminhos: plataforma oferecerá curso de especialização para professores
logo varginha digital

Varginha Digital
Notícias de Varginha e região direto no seu celular.
Informação com credibilidade, Varginha em um clique!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome