Jovem de São Lourenço encontra doador para transplante de medula

Medula Óssea
Foto: Arquivo pessoal

O transplante da Aline deve acontecer nos próximos 20 dias.

Em junho o Varginha Digital divulgou a história da jovem Aline Oliveira, de 22 anos, que tem Leucemia linfoide aguda pró B e precisava de um transplante de medula para conquistar a cura. Nesta quarta-feira, 16, recebemos a informação que o doador foi encontrado.

Não possível saber a identidade do doador e onde ele mora, pois o Redome – Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea, mantém todo o processo em sigilo.

A previsão é que o transplante seja feito nos próximos 20 dias, se não houver nenhuma intercorrência. A cirurgia será no Hospital das Clínicas, em Ribeirão Preto, onde Aline faz a quimioterapia.

Natural de São Lourenço, a jovem faz quimioterapia desde maio. A esperança da cura sempre foi focada no transplante de medula.

Por isso sua família e seus amigos realizaram uma grande campanha em busca do doador. Milhares de pessoas fizeram o cadastro e o teste de compatibilidade.

Estes voluntários que fizeram cadastro no Redome e que não conseguiram ajudar a jovem continuam no banco de dados do sistema e podem ser compatíveis com outros pacientes que precisam do transplante.

Por isso é importante manter os dados no Redome sempre atualizado.

Quem pode doar medula óssea?

O doador de medula óssea deve ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde.

Não pode ter histórico de doença neoplásica (câncer), hematológica ou autoimune (como lúpus eritematoso sistêmico e artrite reumatoide).

Quando o doador é encontrado, ele realiza novos testes de compatibilidade e uma avaliação clínica e laboratorial. Confirmada a compatibilidade com o paciente e o bom estado de saúde do doador, a doação é agendada.

Este processo costuma levar 60 dias e não é necessária nenhuma mudança de hábitos de vida, de trabalho ou de alimentação.

Como é feito o transplante de medula

Há duas formas de coleta para o transplante: punção na medula óssea ou doação por aférese.

Na coleta de medula óssea, o procedimento ocorre em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas.

As células serão coletadas através de punções na região pélvica posterior (osso do quadril) e dura cerca de 90 min.

Na doação por aférese, as células são coletadas diretamente da corrente sanguínea, através de um procedimento de aférese que dura cerca de 3 a 4 horas mas, neste caso, o doador deverá receber uma medicação por 5 dias para estimular as células-tronco.

A técnica usada será definida pela equipe de transplante.

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome