Teatro da PEC do Jardim Estrela recebe oficina em homenagem ao Chacrinha

chacrinha

A expectativa é que a Oficina do Chacrinha atraia moradores do bairro Corcetti, Jardim Estrela, Jardim Mont Serrat, São Geraldo, Jardim Áurea e Barcelona.

Nesta quarta e quinta-feira (26 e 27/06), a Fundação Cultural transforma o teatro da Praça dos Esporte e da Cultura (PEC), do bairro Jardim Estrela, em um espaço para fazer uma homenagem ao famoso “Cassino do Chacrinha”.

Na tarde destes dois dias, serão realizadas oficinas de motivação, alegria, divertimento e emoção sobre o trabalho de Abelardo Barbosa, o Chacrinha, um dos mais famosos comunicadores da rádio e da televisão brasileira.

A oficina “Alô, Alô, Terezinha: 31 anos sem Chacrinha” será conduzida voluntariamente pelo diretor-superintendente da Fundação Cultural, Lindon Lopes, que vai se vestir do saudoso apresentador para entreter 65 pessoas da melhor idade que participam do Centro de Convivência do Idoso e do CRAS.

De acordo com Lindon Lopes, serão duas tardes muito divertidas que vão elevar a autoestima dos idosos. “No próximo domingo (30/06), já serão 31 anos sem este grande comunicador.

Quisemos lembrar a data de uma forma alegre com as pessoas que se divertiram com o Chacrinha na época na TV e do rádio. Será uma oficina muito interativa!”, afirma o superintendente.

A ação educativa faz parte do projeto Manutenção das Atividades Culturais 2019, que é executado pela Associação Artística Janett Finatti.

A iniciativa é viabilizada pela Prefeitura de Varginha e Fundação Cultural, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, com apoio da Unimed e da Labsul.

Com apresentação de José Abelardo Barbosa Medeiros, o Chacrinha, o Cassino do Chacrinha era um programa de auditório com atrações musicais e show de calouros.

O apresentador comandava o programa de duas horas que manteve a aparente anarquia dos anteriores – Discoteca do Chacrinha (1967) e a Buzina do Chacrinha (1967).

Alguns elementos como uma edição rápida, cameraman aparecendo no vídeo, assistentes fantasiados, chuva de confete, plateia animada e movimentação intensa de artistas e “chacretes” no palco , ajudavam a dar o tom da atração.

Todo sábado, o velho guerreiro entrava no palco ao som de “Abelardo Barbosa, está com tudo e não está prosa”.

Ladeado por suas sensuais “chacretes”, vestido com um dos seus figurinos extravagantes e coloridos, o apresentador animava o público com seu gestual e seus bordões, além de distribuição de bacalhau e abacaxi.

Chacrinha também brincava com a plateia perguntando: “quem vai querer o pepino do Nuno Leal Maia?”; a “mandioca da Maria Betânia?” ;  ou a “banana do Chico Anysio?”.

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome