Frio intenso: agricultores devem se preparar para novas geadas

Publicidade

A previsão é que 541 municípios mineiros registrem de 10ºC até temperaturas negativas, com geadas moderadas a fortes.

Os agricultores do Sul de Minas devem se preparar para novas geadas nesta semana, de acordo com o alerta emitido pelo Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge), do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

A previsão é que 541 municípios mineiros registrem de 10ºC até temperaturas negativas, com geadas moderadas a fortes. A Secretaria Estadual de Agricultura mapeou e divulgou as cidades da região que podem sofrer com temperaturas mínimas negativas e geada com intensidade moderada a forte:

Aiuruoca
Alagoa
Albertina
Alfenas
Alterosa
Andradas
Areado
Baependi
Bandeira do Sul
Boa Esperança
Bom Repouso
Borda da Mata
Botelhos
Brazópolis
Bueno Brandão
Cabo Verde
Cachoeira de Minas
Caldas
Camanducaia
Cambuí
Cambuquira
Campanha
Campestre
Campo do Meio
Campos Gerais
Careaçu
Carmo da Cachoeira
Carmo de Minas
Carrancas
Carvalhópolis
Carvalhos
Caxambu
Conceição das Pedras
Conceição do Rio Verde
Conceição dos Ouros
Congonhal
Consolação
Coqueiral
Cordislândia
Córrego do Bom Jesus
Cristina
Cruzília
Delfim Moreira
Divisa Nova
Dom Viçoso
Elói Mendes
Espírito Santo do Dourado
Estiva
Extrema
Fama
Gonçalves
Guaxupé
Heliodora
Ibitiúra de Minas
Ijaci
Inconfidentes
Ingaí
Ipuiúna
Itajubá
Itamonte
Itanhandu
Itapeva
Itumirim
Itutinga
Jacutinga
Jesuânia
Juruaia
Lambari
Lavras
Luminárias
Maria da Fé
Machado
Marmelópolis
Minduri
Monsenhor Paulo
Monte Belo
Monte Sião
Munhoz
Muzambinho
Natércia
Nepomuceno
Olímpio Noronha
Ouro Fino
Paraguaçu
Paraisópolis
Passa Quatro
Pedralva
Perdões
Piranguçu
Piranguinho
Poço Fundo
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Pouso Alto
Ribeirão Vermelho
Santa Rita de Caldas
Santa Rita do Sapucaí
Santana da Vargem
São Bento Abade
São Gonçalo do Sapucaí
São João da Mata
São José do Alegre
São Lourenço
São Sebastião da Bela Vista
São Sebastião do Rio Verde
São Tomé das Letras
Sapucaí -Mirim
Senador Amaral
Senador José Bento
Seritinga
Serrania
Serranos
Silvianópolis
Soledade de Minas
Tocos do Moji
Toledo
Três Corações
Três Pontas
Turvolândia
Varginha
Virgínia
Wenceslau Braz

Já as cidades que poderão ser afetadas com temperaturas mínimas entre 3º e 7°C, com geada fraca e de moderada intensidade são:

Publicidade

Campo Belo
Campo do Meio
Capetinga
Capitólio
Carmo do Rio Claro
Cássia
Conceição da Aparecida
Delfinópolis
Fortaleza de Minas
Guapé
Guaranésia
Guaxupé
Ibiraci
Ilicínea
Itamogi
Itaú de Minas
Jacuí
Juruaia
Monte Santo de Minas
Nova Resende
Passos
Pratápolis
São João Batista do Glória
São Roque de Minas
São Sebastião do Paraíso
São Tomás de Aquino

“A geada também deve ser observada entre os dias 29 e 31/7. O dia 29/7 será o mais seco no período deste aviso, aumentando a amplitude térmica e fazendo com que a madrugada de 30/7 seja a mais fria, com mínimas abaixo dos 7°C na mesorregião Metropolitana, inclusive na capital e na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Nos dias 1 e 2/8, a circulação dos ventos volta a mudar para noroeste e haverá aumento gradativo das temperaturas do ar a partir do Centro/Oeste do estado”, aponta o aviso meteorológico do Simge.

Prejuízos já contabilizados

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) fez um levantamento emergencial dos danos sofridos pelas lavouras de café, causados pela geada da última semana. Dos municípios que participaram da pesquisa, 77,8% ficam no Sul de Minas e 21% estão localizados no Triângulo Mineiro e no Alto Paranaíba.

A estimativa é que a geada tenha afetado, aproximadamente, 156,3 mil hectares, o que corresponde a 17,2% da área ocupada com cafeicultura na região abrangida pelo levantamento.  

O levantamento feito pela Emater-MG mostra que cerca de 9,5 mil produtores tiveram áreas de cafeicultura atingidas pela geada. Além disso, metade desses cafeicultores precisará recorrer a crédito ou seguro rural para fazer frente aos danos constatados.

A Emater-MG elaborou uma cartilha para os produtores afetados pelas geadas. Uma das principais recomendações, neste momento de emergência, é se informar se a área atingida está coberta por seguro agrícola e não realizar nenhuma intervenção na lavoura antes da perícia técnica do profissional habilitado para avaliar os danos.

Para facilitar o levantamento dos prejuízos, é interessante elaborar um desenho, se possível com informações georreferenciadas dos talhões e das áreas atingidas, além anexar registros fotográficos, de preferência com data. No momento, não é indicado realizar nenhum trato cultural, como poda, recepa ou erradicação de plantas. O conteúdo completo da cartilha pode ser acessado neste link.

Para mais informações, os produtores podem procurar o escritório local da Emater-MG do seu município ou entrar em contato por meio de telefones e e-mails disponíveis no site da empresa: www.emater.mg.gov.br.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui