Conheça o nível de eficiência da sua máscara

Publicidade

Quando se trata de Coronavírus, é importante não errar na escolha da máscara. Por isso, conhecer o nível de eficiência dos diferentes tipos de máscaras é essencial. Um fator importante no momento da escolha da máscara é o ambiente a ser frequentado e a respirabilidade do tecido; um tecido com trama muito fechada pode filtrar muito bem, mas, certamente, será removido do rosto por quem o utiliza. Veja abaixo os tipos mais comuns de máscaras e sua eficiência de proteção ao Coronavírus:

  • Máscara Cirúrgica: as máscaras cirúrgicas são produzidas em nível industrial e possuem um grau de eficiência de filtração de cerca de 89%, fator considerado alto;
  • Máscara de Algodão: trata-se do material mais comumente utilizado para a fabricação de máscaras caseiras e apresenta um grau de eficiência de filtração extremamente variável, entre 20% e 60%;
  • Máscara de Tecido Não Tecido (TNT): as máscaras de TNT apresentam uma eficiência média de filtração de 78%. O TNT é considerado o melhor material para a fabricação de máscaras caseiras;
  • Máscara PFF2 Sem Válvula: as máscaras PFF2 apresentaram o maior grau de eficiência de filtração para todos os tamanhos de partículas, em torno de 98%, e, pelo elevado grau de eficiência, são as mais recomendadas em avaliação de desempenho;
  • Máscara PFF2 Com Válvula: com o nível de eficiência de filtração em torno de 98%, a máscara PFF2 com válvula possui uma única particularidade que gera preocupação: o equipamento filtra as partículas do ar externo quando o indivíduo inspira, mas permite que as partículas escapem pela válvula quando ele expira, ou seja, se o indivíduo que usa a máscara estiver infectado, pode expelir gotículas com o vírus ao expirar, colocando quem estiver perto em risco. São as chamadas “Máscaras Egoístas”.

As Máscaras de Algodão ou TNT devem ser utilizadas por todos ao sair de casa, em ambientes abertos ou fechados, principalmente em locais como ônibus e supermercados. As Máscaras Cirúrgicas, segundo nota técnica da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, devem ser utilizadas por pacientes suspeitos e confirmados com sintomas de síndrome gripal, ao frequentarem os serviços de saúde e durante o transporte. Caso o paciente tenha um acompanhante, ele também deverá usar máscara cirúrgica.

Para os profissionais de saúde e de apoio, a referida nota recomenda que utilizem a máscara cirúrgica sempre que prestarem assistência a menos de 1 metro do paciente suspeito ou confirmado com infecção pelo Coronavírus. Os trabalhadores que fazem a limpeza dos quartos e áreas de isolamento devem utilizar máscara cirúrgica durante todo o processo de higienização desses ambientes. Os profissionais de saúde devem utilizar máscara do tipo N95 sempre que realizarem procedimentos geradores de aerossóis no atendimento a pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo Coronavírus.

Entender a eficiência do equipamento, quando e por quem, cada tipo de máscara deve ser utilizada é essencial. Contudo, outras medidas de prevenção como o distanciamento social, a higienização constante de mãos e de superfícies frequentemente tocadas são indispensáveis para a proteção contra o Coronavírus. A junção de todas essas medidas são imprescindíveis para combater a pandemia da melhor forma possível.

Publicidade

Leandro Nascimento – Engenheiro de Segurança do Trabalho


Veja também

Se você encontrou alguma imagem ou texto em que os direitos autorais não foram creditados, por favor, entre em contato conosco para efetuarmos a correção.

Siga-nos no Google News

Varginha Digital
Notícias de Varginha e do sul de Minas direto no seu celular.
Varginha em um clique!

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui