Web série “Meu nome é Frida” lançada por ator alfenense aborda o tema homofobia

A web série “Meu nome é Frida” retrata um professor que adota o alter ego de Frida, a famosa pintora mexicana.

O ator alfenense Heverton Ferreira, lançou nas redes sociais a web série “Meu nome é Frida“, que coloca em discussão o tema homofobia.

Publicidade

A web série aborda um professor, que adota o alter ego da pintora mexicana Frida Kahlo, uma das artistas mais influentes do século XX e que se propôs a quebrar barreiras.

(Foto de reprodução)

Ao todo são seis episódios, lançados toda sexta-feira nas redes sociais do artista no Instagram (@heverton.ferreira.7) e no TikTok (@hevertonferreira.7). Heverton já conta com 21 anos de carreira, desde o início de sua trajetória no grupo teatral Sassarico. 

A série visa não apenas entreter, mas também desafiar estereótipos e promover uma representação autêntica da diversidade humana.

Também se propõe destacar a experiência multifacetada de um indivíduo LGBTQ+ e, simultaneamente, abordar os desafios e triunfos de profissionais da educação que enfrentam muitas vezes ambientes tradicionais e conservadores.

O projeto, idealizado e desenvolvido pelo ator também se estende a apresentações em escolas, onde promove um bate-papo com os estudantes a partir da apresentação da história da personagem Frida, protagonista de “Meu nome é Frida”.

Publicidade

O projeto foi contemplado pela Lei Paulo Gustavo, em Alfenas e como contrapartida do projeto, foram 10 apresentações em escolas da rede pública e privada de Alfenas, além da Unifal (Universidade Federal de Alfenas). Nesses encontros, a partir da sensibilização a partir da representação, foi feita uma discussão com os estudantes sobre bullying e homofobia.

Assista o 1º episódio:

Para ver todos os episódios da web série acesse o perfil do artista no Instagram (@heverton.ferreira.7) e no TikTok (@hevertonferreira.7).

Artista promoveu apresentações em escolas de Alfenas como contrapartida ao financiamento do projeto pela Lei Paulo Gustavo (Foto Divulgação)
Artista promoveu apresentações em escolas de Alfenas como contrapartida ao financiamento do projeto pela Lei Paulo Gustavo (Foto Divulgação)

Com informações de Alfenas Hoje

Publicidade