Anvisa aprova registro do primeiro medicamento recomendado para tratamento de Covid

Antiviral
Antiviral Remdesivir aprovado pela Anvis. Foto: Divulgação
Publicidade

A determinação da Anvisa vai na contra mão da OMS, que em novembro de 2020 anunciou que o remédio não era recomendado para pacientes internados com Covid-19.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, anunciou nesta sexta-feira, 12, o registro do primeiro medicamento que terá em bula a recomendação para o tratamento da COVID-19: o antiviral remdesivir.

O remdesivir é um medicamento sintético intravenoso – aplicado na veia do paciente – que teoricamente impede a replicação viral.

Publicidade

A determinação da Anvisa vai na contra mão da Organização Mundial de Saúde (OMS), que em novembro de 2020 anunciou que o remédio não era recomendado para pacientes hospitalizados com Covid-19, pois ele nem evitou mortes, nem o agravamento da doença. A recomendação foi feita com base em dados de quatro testes envolvendo mais de 7 mil pacientes internados com Covid-19.

Mas os especialistas da Anvisa explicaram que o estudo Solidarity, feito pela OMS, foi diferente dos estudos americanos e da Gilead, a fabricante.

De acordo com o gerente-geral de Medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, apesar de haver muita discussão sobre o uso do medicamento, a decisão foi tomada com base em “qualidade, segurança e eficácia”. O medicamento aprovado é indicado em casos mais graves da doença, nos quais os pacientes se encontram hospitalizados e entubados.

O medicamento já está sendo usado de maneira emergencial nos Estados Unidos desde novembro de 2020 contra a Covid-19. “Não observamos contraindicação de maneira geral. Quando fazemos os estudos, buscamos classes de medicamentos compatíveis. O remdesivir é um medicamento que será administrado injetável. Nesse caso a gente tem pouca possibilidade de interação ou reação adversa”, explicou Mendes.

Indicação além da Covid-19

Além do tratamento de pacientes com Covid-19, Anvisa recomendou o uso do antiviral remdesivir para adultos e adolescentes com idade igual ou superior a 12 anos e com peso corporal de, pelo menos, 40 kg, com pneumonia e que requerem administração suplementar de oxigênio oxigênio de baixo ou alto fluxo, ou outra ventilação não invasiva (que não estão intubados), no início do tratamento.

Medicamento não foi criado para Covid-19

O antiviral remdesivir foi originalmente pensado para tratar hepatite, mas não funcionou; também foi testado para o ebola, sem resultados promissores, reportou o jornal americano “The New York Times”.

O uso do medicamento será exclusivo para hospitais, e, de acordo com a Anvisa, a incorporação ao SUS ainda terá que passar pela aprovação da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde).


Veja também

Siga-nos nas Redes Sociais

Novos Caminhos: plataforma oferecerá curso de especialização para professores

Se você encontrou alguma imagem ou texto em que os direitos autorais não foram creditados, por favor, entre em contato conosco para efetuarmos a correção.

Varginha Digital
Notícias de Varginha e do sul de Minas direto no seu celular.
Varginha em um clique!


Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome