Cemig dá dicas para prevenir acidentes com crianças

O número de mortes causadas por acidentes elétricos de crianças de 0 a 15 anos aumentou quase 30% para 2018.

Entre as crianças de até cinco anos as principais causas dos acidentes estão em casa, onde se espera que elas estejam protegidas. Por isso, a Cemig dá dicas para evitar acidentes elétricos com os pequenos.

É preciso ficar muito atento às tomadas sem proteção, aos fios desencapados, às extensões e às fugas de correntes de aparelhos eletrodomésticos. De acordo com o engenheiro eletricista Demetrio Aguiar, da Cemig,  todas essas causas são muito facilmente resolvidas.

O especialista recomenda que o consumidor utilize os protetores de tomada em toda a casa, e não sobrecarregue os benjamins. “Além disso, é importante que o cliente instale um dispositivo diferencial residual”.

Esse dispositivo já é obrigatório pelas normal da ABNT desde 1997. O equipamento protege pessoas e animais contra o choque elétrico.

Demetrio Aguiar explica ainda que o dispositivo detecta a fuga de corrente e desliga o circuito imediatamente, evitando o choque. “ Assim, mesmo que a criança coloque o dedo ou introduza algum material na tomada, ela estará protegida”, afirma.

Veja as dicas da Cemig:

  • Evitar o uso de aparelhos durante tempestades;
  • Desligue os aparelhos ao sair de casa;
  • Não recarregar aparelhos em cima de camas e sofás, e próximo a cortinas, toalhas de mesa ou qualquer material combustível;
  • Aparelhos que requerem o uso de carregadores elétricos devem ser manuseados pelos pais;
  • Verificar se a tensão de entrada dos carregadores é compatível com a da instalação;
  • Em caso de defeito, não desmontar o aparelho. Deve-se neste caso procurar a assistência técnica;
  • Utilizar o carregador específico de cada aparelho;
  • Evitar a ligação de vários aparelhos na mesma tomada, para não gerar sobrecorrente e curto circuito;
  • Não ligar os aparelhos em locais sujeitos a alagamento, chuva e umidade (quintais e jardins, banheiros e pias).

Aparelhos e brinquedos eletrônicos

Recentemente, as crianças têm procurado novos tipos de entretenimento que podem oferecer risco elétrico. São DVD e Blu-Ray players, videogames, videokês, celulares e brinquedos com bateria interna recarregável.

“Os cuidados devem começar já na hora da escolha do presente, observando a faixa etária indicada, a voltagem do equipamento e outras questões ligadas à segurança”, alerta o especialista.

O selo do Inmetro também é importante, pois vem manual de instruções com informações detalhadas de segurança.

Mortes de crianças

O número de mortes causadas por acidentes elétricos envolvendo a faixa etária de 0 a 15 anos aumentou quase 30% em 2017 em comparação com o ano anterior. Os acidentes fatais saltaram de 72 para 93 no período.

Os dados são da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel).

Com as crianças maiores de 5 a 15 anos, os acidentes acontecem ao tentar retirar pipas da rede elétrica, em contatos com cercas elétricas clandestinas, postes, grades e varais energizados, carregador de celular, fios desencapados e cabos partidos na rua.

Para evitar esses tipos de acidente, Demetrio Aguiar recomenda que as crianças nunca tentem resgatar pipas e não utilizem cerol e linha chilena. “É fundamental que os consumidores contratem profissionais experientes e habilitados para a instalação de equipamentos elétricos como a cerca elétrica”.

Demetrio Aguiar ressalta, ainda, que os clientes precisam revisar as instalações elétricas de suas residências no mínimo a cada dez anos.

Em caso de fios partidos na rua, a Cemig orienta o cliente a ligar imediatamente para a Cemig no 116 e isolar o local.


 

Curta o Varginha Digital no Facebook e acompanhe as notícias também pelo Instagram.

Voltar para a Página Inicial

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome