Governador anuncia decreto de calamidade pública e restrições ao comércio, transporte e educação em MG

calamidade pública minas gerais
Imagem: site G1

O Governador de Minas, Romeu Zema, anunciou decreto de calamidade pública em MG nesta sexta-feira, 20 de março em uma live nas redes sociais

O decreto de calamidade pública será enviado à ALMG na próxima segunda-feira (23), dia em que passa a valer uma série de restrições.

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou, nesta sexta-feira (20), que acabou de enviar para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) um decreto de calamidade para Minas Gerais. Com este decreto,o Governador estabeleceu também várias restrições em relação a funcionamento do comércio, ao transporte e à educação.

Com esta medida, passo a ter condição de tomar medidas que afetam todo o estado. Acabo me sobrepondo aos prefeitos, que, se até então, tinham poder de conceder alvará, agora posso tomar esta decisão. A partir de segunda, está determinado o fechamento do comércio, exceto para os essenciais, será estendido para os 853 municípios do estado”, explicou o governador.

Até esta sexta, Minas Gerais tinha 38 casos confirmados de coronavírus. Os suspeitos já passavam de 4 mil.

Durante a transmissão ao vivo, o Secretário de Estado de Saúde Carlos Eduardo Amaral, reconheceu que o número cresceu expressivamente no Estado e defendeu as medidas adotadas pelo governo. “Essas medidas que o governador está adotando nos faz não ter uma sobrecarga no serviço de saúde”, disse.

O Secretário-Geral de Governo Mateus Simões reforçou, ainda, que estão proibidos eventos públicos superiores a 30 pessoas, cinemas, clubes, salões de festas, museus e bibliotecas. “As forças de segurança estarão a disposição das prefeituras para garantir que medidas sejam cumpridas”, finalizou.

Conheça as novas restrições impostas pelo governo:

Comércio

A partir de segunda-feira (23), todos os estabelecimentos comerciais de Minas Gerais estarão fechados. Só ficarão abertos os que são essenciais, como farmácias, padarias e supermercados.

Transporte interestadual

Também a partir de segunda, serão fechadas as divisas do estado para transporte de passageiros vindos de outro estado. “Nenhum transporte quer seja ônibus, trens, entrarão ou sairão do estado (…). O transporte aéreo depende de autorização federal, mas é bem provável que será suspenso em todo o estado“, afirmou o governador.

Transporte coletivo urbano e intermunicipal

Haverá expansão da restrição ao transporte público municipal. Dentro das cidades, os ônibus só poderão circular dentro do limite de capacidade de pessoas sentadas. E nas linhas intermunicipais, só poderão circular com metade da capacidade de pessoas sentadas. As regras valem a partir de segunda-feira.

Escolas

O fechamento de escolas, determinado apenas para escolas estaduais por tempo indeterminado, a partir de segunda-feira, passa a ser imposto para qualquer instituição de ensino, inclusive particular.

Segundo Zema, apesar de não frequentarem as escolas, as crianças da rede estadual vão estudar em aulas não presenciais. “Quem tem internet, fará desta maneira. As outras irão na escola, pegar o material e devolver na semana seguinte”, disse. “Sem tumulto e da forma mais segura possível”, garantiu.

Sobre a merenda escolar, que muitas crianças da rede pública depende, o governador disse que está “trabalhando junto com o Governo Federal e a Secretaria de Estado de Educação para que as crianças continuem sendo atendidas.

Fonte: site G1 Sul de Minas # calamidade pública

Veja também

Curta o Varginha Digital no Facebook e no Instagram
Voltar para a Página Inicial

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome