Minas Gerais pode ter lockdown para conter propagação do coronavírus

coronavirus moleculas unifal covid-19
Foto ilustrativa

Até o fechamento desta matéria o Estado contabilizava 29.897 casos confirmados de coronavírus, sendo 720 mortes.

Com o avanço rápido dos casos de coronavírus em Minas Gerais, o governo cogita implantar o protocolo de lockdown para conter o crescimento da doença. Até o fechamento desta matéria o Estado contabilizava 29.897 casos confirmados de coronavírus, sendo 720 mortes.

O lockdown é a versão mais rígida do distanciamento social e quando a recomendação se torna obrigatória. É uma imposição do Estado que significa bloqueio total.

Na prática o protocolo estabelecerá a restrição da circulação da população em lugares públicos, permitindo apenas, e de forma limitada, para questões essenciais, como ir à farmácias, supermercados ou hospitais. O descumprimento dessa regra pode acarretar multas e em toque de recolher, dependendo do governo local.

A informação foi divulgada em coletiva virtual de imprensa, realizada nesta sexta-feira (19/6). O secretário adjunto de Saúde (SES-MG) Marcelo Cabral e o chefe de gabinete da pasta, João Pinho, advertiram o percentual de ocupação dos leitos no estado aumentou de 72,17% para 88,44%, o que pode motivar.

“Isso é um sinal muito importante, nos obriga a exigir da população que mantenha todos os cuidados por amor às próprias vidas. De agora para frente, vamos insistir muito na necessidade de distanciamento. Apesar de todos os esforços do governo em preparar a rede de Saúde, é importante que cada mineiro se esforce para que possamos enfrentar adequadamente essa pandemia”, enfatizou Cabral.

O protocolo de lockdown começou a ser elaborado porque alguns municípios não seguiram as orientações do Governo do Estado e tomaram decisões sobre flexibilização das atividades econômicas, o que colaborou muito para a aceleração da pandemia.

“Há aproximadamente dez dias, começamos a criar um protocolo para lockdown, junto à Polícia MilitarDefesa Civil e ao Corpo de Bombeiro Militar. Não é para o estado todo e esperamos não precisar usar. O trabalho conjunto estuda como deverá ser, caso haja a necessidade de vir a restringir as atividades e o nosso ir e vir, de forma mais efetiva que a onda verde do Minas Consciente. Caso algum município ou região tenha piora ainda mais expressiva nas próximas semanas, infelizmente a gente pode ter que recomendá-lo ou ser um pouco mais incisivo nesse ponto”, reforçou o chefe de gabinete da SES-MG, João Pinho.

Pico

Em relação ao pico da pandemia, monitorado semanalmente, Pinho confirmou que a previsão é para o dia 15 de julho. Segundo ele, mais importante que saber o dia exato, é preciso acompanhar o comportamento do pico. “Esta previsão pode vir a ser postergada, caso a sociedade seja diligente, como pode vir a ser antecipada, se relaxarmos nas nossas medidas”, enfatizou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome