Coletores de lixo podem parar em Varginha

A possibilidade de greve dos coletores de lixo é motivada pelas más condições de trabalho dos servidores.

Os coletores de lixo podem parar em Varginha. As más condições de trabalho tem causado crescente insatisfação dos servidores municiais.

Publicidade

De acordo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Varginha (SindServa), Miller Fagundes Jorge, entre os problemas relatados estão a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de materiais de trabalho.

Os coletores também contam que muitos estão com férias atrasadas, que os funcionários não fazem exames periódicos e que três motoristas não estão recebendo insalubridade. Além disso, as questões relacionadas aos salários defasados e ao recebimento de hora-extras também preocupam os servidores.

Os trabalhadores relataram ainda que o sistema de pagamento das horas-extras seria modificado e que ficaram sabendo das alterações pela “rádio-pião”.

“Hoje, o salário-base do coletor é de R$1.298,00 mais 40% de insalubridade por terem contato direto com o lixo. A maioria desses servidores dobra e até triplica sua jornada de trabalho para receber hora-extra”, explicou Miller.

Outra questão é a falta de manutenção dos caminhões. No mês de maio, o sindicato solicitou aos Técnicos de Segurança do Trabalho uma vistoria nos caminhões da coleta, e foi constatado que dois veículos que estavam em funcionamento necessitavam de manutenção e quatro estavam parados devido à falta de peças, que também precisavam de manutenção.

Publicidade

O setor de Engenharia de Segurança do Trabalho analisou as condições dos caminhões e solicitou que fosse tomadas as providências e manutenções imediatas, visando a saúde e integridade dos trabalhadores.

Ainda segundo Miller, outro problema veio à tona. “Durante a coleta de lixo, um caminhão estragou. Quando o motorista e o coletor voltaram ao pátio receberam uma ordem para continuarem o serviço em um caminhão da coleta seletiva. No trajeto, esse coletor caiu do caminhão e acabou se machucando. Eles estavam em um caminhão que não era próprio para a coleta, o que resultou no acidente”, afirmou o presidente do sindicato.

O coletor que se machucou procurou o sindicato para conseguir o transporte para realizar suas seções de fisioterapia, alegando que não conseguiu o mesmo pela Administração, mesmo acidentado em um caminhão não apropriado para coleta.

“Os coletores estão cansados de tudo o que vem acontecendo. Esses heróis trabalham de baixo de sol, chuva, frio, calor, cedo, de tarde e a noite e merecem uma boa condição de trabalho”, ressaltou Miller.

Publicidade

O presidente do SindServa afirmou que foi encaminhado um ofício ao secretário municipal de Meio Ambiente, Joadylson Barra Ferreira, requerendo que seja estabelecida uma negociação coletiva com o município em caráter de urgência para a quarta-feira, dia 24/08. Mas o secretário informou que a reunião seria na próxima sexta-feira (26/08), conforme combinado anteriormente.

“Quero deixar um apelo a nossa Administração, para tratar os nossos servidores com carinho e respeito, e trazer informações diretas a eles e ao sindicato, para que eles se sintam valorizados”, concluiu o presidente do SindServa.

Veja o vídeo completo do pronunciamento do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Varginha (SindServa), Miller Fagundes Jorge:

O que diz a Prefeitura

Na terça-feira, 23, o prefeito de Varginha, Vérdi Melo, divulgou um vídeo sobre a questão da possível greve dos coletores de lixo.

De acordo com o chefe do executivo, os salários dos coletores foram fixados em concurso público e que ao longo dos anos foram feitos aumentos. Também ressaltou que é pago um tíquete alimentação de R$ 470,00.

Publicidade

“Nós não queremos fazer nenhum tipo de redução no salário dos coletores, muito pelo contrário, nós defendemos o projeto que está tramitando no Congresso Nacional, fixando o piso para todo o Brasil. Se isso acontecer, obviamente vamos fazer a fixação [do piso salarial] aqui também”, afirmou Vérdi.

O prefeito disse ainda que não é possível reajustar o salário dos servidores. “É humanamente impossível fazer um aumento diferenciado, porque vamos ferir o princípio da isonomia e também não teríamos condições de fazer um aumento para mais de 4 mil servidores”, completa Vérdi.

Confira o vídeo completo com a fala do prefeito Vérdi Melo:

Veja mais notícias no Varginha Digital

1 COMENTÁRIO

  1. A a isonomia já está sendo ferida pois 3 motoristas não recebem a insalubridade e os outros motoristas recebem normalmente, todos estão expostos a riscos físicos, químicos e biológicos e não só a barulho e vibração do caminhão como foi dito pela empresa contratada pela prefeitura a um tempo atrás. Lembrando que na pandemia a coleta não parou nem um dia se quer, pelo contrário trabalharam além do normal pois com os munícipes em casa o lixo aumentou e vários coletores e motoristas contrairam a COVID-19 ficando internados e afastados do trabalho. Penso que se um setor já recebe não e certo negar para outros que fazem a mesma função. Ainda tem a terceirização dos caminhões e motoristas, que ao meu ponto de vista e necessária mais não para frota sim para uma oficina que seja específica pra caminhões da coleta de lixo pois são caminhões que são muito exigidos e precisam de uma manutenção preventiva.

Comments are closed.