Dois eventos em Varginha vão discutir a violência contra a mulher

O feminicídio é o assassinato de uma pessoa pela condição de ser mulher.

A cada dois dias, uma mulher foi morta em Minas Gerais em 2018, o que corresponde a uma alta de 13% desde 2016. O tema é tão importante que dois eventos em Varginha vão promover o debate do assunto.

Na quinta-feira, 28, às 18h30, acontece uma audiência pública com o tema “Combate à violência contra as mulheres”. A audiência é aberta a população e contará com a presença de vários advogados.

No dia seguinte, 29, será realizado, no auditório da Unifal, o seminário “A cultura da violência contra a mulher”. O evento será das 8h às 11h.

Serão duas palestras:

Violência contra as mulheres, com a professora Dra. Fernanda Mitsue Soares Onuma, da Unifal;

O peso da mão e da vida que ainda segue maior sobre as mulheres negras, com a professora Dra. Juliana Cristina Teixeira.

A Unifal fica na avenida Celina Ferreira Ottoni, 4.000, Padre Vitor.

Feminicídio

O feminicídio é o assassinato de uma pessoa pela condição de ser mulher.

Em 2015, a Lei do Feminicídio (Lei 13.104/15) juntou-se à Lei Maria da Penha na construção do empoderamento das mulheres em conjunto com as políticas criadas para prevenir e punir atentados, agressões e maus-tratos.

Os números divulgados, em janeiro, pela Polícia Civil mostram aumento de 4% de casos de feminicídios de 2017 a 2018. A alta é ainda maior se comparados com 2016: 13%. Entretanto, em relação ao número de feminicídios tentados, o número teve uma pequena queda: de 309 para 277.

Voltar para a Página Inicial

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome