Mulher é agredida com garrafa na zona rural de Varginha, polícia procura por suspeito

agressão zona rural de Varginha
Foto: Reprodução EPTV

A mulher foi agredida na porta de casa, na última terça-feira. De acordo com a Polícia Militar, filha da vítima viu o momento da agressão.

Uma mulher sofreu ferimentos graves na cabeça depois de ter sido agredida na porta da casa em que ela mora em uma fazenda em Varginha (MG).

De acordo com a Polícia Militar, a tentativa de homicídio aconteceu no início da tarde de terça-feira (3). Uma garrafa e um bloco de cimento com marcas de sangue foram encontrados no local.

Ainda conforme a polícia, a filha da vítima informou que estava em casa com a mãe quando ouviu os cachorros latirem. A mulher foi até a porta e disse que havia um homem pedindo água. A vítima foi atender a porta e a filha dela ficou dentro da casa.

Pouco depois, a filha ouviu quando a mãe chamou por socorro e foi até a porta. A PM informou que a menina viu a mãe caída no chão e um homem agredindo ela com um objeto. Ao perceber a presença da filha da vítima, o autor do crime fugiu.

A filha acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que esteve no local e levou a mulher para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade.

A polícia não informou sobre suspeitas da motivação do crime. O suspeito continua foragido e, até a publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso.

A Polícia Civil de Varginha (MG) tenta encontrar pistas de um homem que agrediu uma mulher de 40 anos na zona rural.

A família ainda está chocada com o que aconteceu. Cláudia Caineli Mariano está internada em estado grave na UTI do Hospital Regional de Varginha.

Antes de ser transferida para o hospital, Claudia foi levada para a UPA e gritou o nome “Lucas” antes de entrar em coma.

Conversamos com os familiares para que eles nos passassem possíveis autores, possíveis situações que pudessem gerar uma agressão tão grande, tão voraz e também estamos trabalhando com a possibilidade de ter sido um fato aleatório, ter sido uma pessoa que estava passando pelo local e agiu por ocasião“, disse o tenente da Polícia Militar, Luiz Paulo Barros.

O crime aconteceu por volta de 13h30. Mãe e filha estavam vendo televisão quando ouviram os cachorros latirem. A mãe foi atender um moço que estaria pedindo água. A filha foi ao banheiro e voltou a assistir TV.

Quando abaixou o volume, ouviu que a mãe estava pedindo socorro. Do lado de fora, viu uma cena terrível. Um homem golpeava a vítima na cabeça, com um tijolo e uma garrafa.

Eu corri para ver o que era, eu fiquei muito assustada porque vi o rapaz em cima da minha mãe agredindo ela e a única coisa que eu pensei em fazer naquele momento foi fugir, correr para o mato para me esconder para falar com o meu pai“, disse a filha, Mayra Cristina Mariano.

Locais próximos à casa têm câmeras de segurança. A família acredita que talvez as imagens ou os vizinhos possam ajudar a encontrar o agressor. Antes da agressão, pela manhã, a mãe tinha comentado sobre um homem suspeito circulando pela região e é provável que outras pessoas também tenham visto.

A filha da vítima não conseguiu visualizar as características do autor, apenas as vestimentas, ele estava de calça jeans e com uma camisa azul e era uma pessoa de um porte físico relativamente avantajado, então qualquer pessoa que passou por ali dentro do horário do fato, na data de ontem e que tenha visto alguém com essas características, que possa reconhecer, que possa dar alguma informação, ligue no telefone 190 e nós vamos apurar para ver se conseguimos prender esse autor“, completou o tenente da PM.

A família, que já morava há 3 anos na fazenda, não quer mais voltar a morar na casa. Eles esperam conseguir informações suficientes para entender o que aconteceu.

A gente espera que a minha mãe possa se recuperar o mais rápido possível pra poder contar pra gente o que aconteceu e quem foi essa pessoa que fez isso com ela“, disse a filha.

Com Informações G1 Sul de Minas

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome