Vereadora cobra informações sobre Plano Habitacional para servidores municipais

Publicidade

Lei de 2017 prevê doação de áreas para implantação de um Plano Habitacional para os servidores municipais.

Em 2017 foi autorizada pela Câmara e publicada através da Lei 6.366/2018 a doação de áreas institucionais que foram destinadas à Associação dos Servidores Públicos Municipais de Varginha – ASSP, como o objetivo de implantação de um Plano Habitacional para os servidores municipais.

Mas nada foi feito. Em abril deste ano, o vereador Dandan apresentou um requerimento na Câmara cobrando informações sobre a situação das áreas institucionais que foram destinadas à Associação dos Servidores Públicos Municipais de Varginha – ASSP.

“Fui procurado por servidores que buscam informações sobre o cumprimento dessa Lei e como não tivemos informações sobre a implantação do referido programa, estamos cobrando da Prefeitura as devidas respostas sobre esse problema”, destacou Dandan.

Agora em junho, a presidente da Câmara voltou ao assunto, por meio de um requerimento cobrando de novo informações sobre o prazo de vigência da Lei.

Publicidade

“De acordo com o documento aprovado, o prazo estipulado pela legislação municipal para início e término das atividades pretendidas era de 5 anos, a finalizar no final de 2022. Queremos saber se o Executivo enviará para a Câmara um novo projeto estendendo o prazo, visto que ainda não foram concluídos os trâmites necessários”, disse a vereadora Zilda Silva.

O que diz a lei

De acordo com a Lei, ficam devidamente desafetadas das características de área institucional e de área verde, uma área institucional de mais de 3 mil m² na Avenida dos Tachos; uma área verde de mais de 4 mil m² no Parque Alto da Figueira e outra área institucional de mais de 4 mil m² no Parque Alto da Figueira II.

Essas áreas desafetadas seriam doadas pelo Município de Varginha à ASSP, a fim de que seja efetivado o Programa de Habitação Popular implantado pelo Município. E transcorridos cinco anos da data da publicação da presente Lei e havendo áreas remanescentes e não utilizadas para os fins nela dispostos, serão referidas áreas revertidas ao patrimônio público municipal.

“Dado o encerramento do prazo, é urgente que a gente fiscalize para que esses servidores que sonham, há tanto tempo com a casa própria, não sejam prejudicados”, destacou o vereador Dandan, que foi apoiado pela presidente. “Esse questionamento é importante, dado os prazos que devemos estar atentos. Aguardamos resposta do Executivo e que seja positiva para os nossos servidores”, concluiu Zilda.

Veja mais notícias no Varginha Digital

Receba as notícias no seu e-mail

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui