Vereador quer saber se é possível quebrar contrato com a Copasa

copasa

A insatisfação da população com a Copasa motivou o questionamento do vereador.

Nesta semana o vereador Carlúcio Mecânico questionou a Prefeitura de Varginha sobre a possibilidade de quebrar o contrato com a Copasa. A ineficiência da prestação de serviço da empresa na cidade é o motivo do questionamento.

O parlamentar deseja saber se o Chefe do Executivo sabe da insatisfação da população em relação aos serviços de água e esgoto em Varginha e se já foi realizada alguma pesquisa que avalie a satisfação do consumidor. Ele questionou, ainda, caso seja constatado a insatisfação com mais de 50% dos munícipes, se existe a possibilidade de quebra de contrato.

“Essas são informações de grande relevância para a população, uma vez que é nítida a ineficiência dos serviços prestados pela Copasa, além das tarifas altíssimas que o consumidor vem pagando em nossa cidade”, justificou Carlúcio.

O vereador ainda cita que outras cidades conseguiram a quebra de contrato com a Copasa, alegando ineficiência na prestação do serviço. “Se existir essa possibilidade de quebra de contrato, acredito que seja importante discutirmos isso, pois a população não aguenta mais pagar caro em uma conta e ter um serviço que não corresponde ao preço pago”, disse Carlúcio.

Varginha não é a primeira cidade a cogitar o rompimento do contrato com a Copasa. Em julho deste ano a Prefeitura de Pouso Alegre pediu o cancelamento do contrato com a empresa.

Já a Câmara Municipal de Alpinópolis autorizou que a prefeitura quebrasse o contrato com a Copasa. A decisão ficou a cargo do prefeito.

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

2 COMENTÁRIOS

  1. Na minha opinião essa quebra de contrato já deveria ter sido feita há muito tempo, não pela qualidades na prestação de serviço mas sim pelo aburdo na cobrança do esgoto. Ê triste saber que o nobre Edil vem falar disso agora em ano de eleição, na procura de votos pois essa decisão cabe à Câmara e ao prefeito e seria em benefício popular.

  2. Na minha opinião essa quebra de contrato já deveria ter sido feita há muito tempo, não pela qualidades na prestação de serviço mas sim pelo aburdo na cobrança do esgoto. Ê triste saber que o nobre Edil vem falar disso agora em ano de eleição, na procura de votos pois essa decisão cabe à Câmara e ao prefeito e seria em benefício popular.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome