Acidente em Capitólio: embarcação tomba e duas pessoas morrem no Lago de Furnas

Publicidade

O acidente foi na região conhecida como Cachoeirinha, em Capitólio. 

Na noite de sábado (18), um acidente no Lago de Furnas, em Capitólio deixou duas pessoas mortas, informou a Associação Pública dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg). O acidente foi na região conhecida como Cachoeirinha.

De acordo com as informações iniciais, a lancha com 14 passageiros a bordo apresentou problemas mecânicos e solicitou apoio de outra embarcação nas proximidades para resgatar os passageiros.  Uma embarcação do  modelo chalana, que tinha outros dez passageiros, foi até a lancha à deriva e no momento do transbordo dos passageiros a chalana não suportou o peso e virou.

Segundo a associação, ao menos dois passageiros não conseguiram sair debaixo da embarcação e se afogaram. Os marinheiros que ficam no local tentaram reanimar as duas vítimas até a chegada do SAMU que confirmou os óbitos. Os demais passageiros tiveram escoriações leves.

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou que foi acionada em uma marina para verificar uma chalana que virou parcialmente provocando a morte de um homem, 62 anos, natural de Penápolis (SP), e uma uma mulher, de 22 anos, natural de Machado (MG).

Publicidade

A perícia esteve no local e realizou os trabalhos iniciais. Os corpos serão analisados no Posto Médico-Legal em Passos ainda neste domingo.

Por meio da Ameg, o prefeito de Capitólio, Cristiano Silva, lamentou o acidente e prestou solidariedade as vítimas. “Nosso respeito as famílias enlutadas neste acidente. Temos trabalhado constantemente para aumentar a segurança na região. Todas as embarcações são obrigadas a fornecer coletes salva-vidas em número suficiente para todos os passageiros e tripulação”, pontuou o prefeito esclarecendo que no momento do acidente vários passageiros usavam o colete.

Já o presidente da Ameg e prefeito de Carmo do Rio Claro, Filipe Carielo “reafirmou o compromisso de todos os gestores municipais da região bem como da Marinha do Brasil, sediada em Furnas, de garantir a navegabilidade segura para todos no Mar de Minas” e se solidarizou com familiares das vítimas.

Investigações

O Comando do 1º Distrito Naval da Marinha do Brasil, responsável por Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, vai notificar os donos e condutores das duas embarcações envolvidas no acidente

De acordo com nota enviada à reportagem do jornal O Tempo, a notificação será para que eles esclareçam o que aconteceu e providenciem a reflutuação da embarcação. Um inquérito administrativo será instaurado para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades da ocorrência.

“Concluído o inquérito e cumpridas as formalidades legais, o mesmo será encaminhado ao Tribunal Marítimo, que fará a devida distribuição e autuação, o qual dará vista à Procuradoria Especial da Marinha para que adote as medidas previstas no Art. 42 da Lei n° 2.180/54”, diz a nota da Marinha. O artigo citado pela Marinha determina que a Procuradoria, em até dez dias, ofereça a denúncia, peça o arquivamento ou entenda que não é caso a ser julgado pelo Tribunal.

A Polícia Civil também vai abrir um inquérito para investigar as causas do acidente.

Veja mais notícias no Varginha Digital

Receba as notícias no seu e-mail

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui