Justiça condena 28 pessoas presas na Operação Argos

Polícia Civil
A Polícia Civil investiga o caso.

A Operação Argos desmantelou célula do PCC que atuava no Sul de Minas.

As 28 pessoas presas na operação Argos foram condenadas a mais de 700 anos de prisão. A operação aconteceu em agosto de 2017 e desmantelou célula do PCC que atuava no Sul de Minas.

Esse grupo era responsável por explosões de caixas eletrônicos. Também por roubos a residências e de carros, comércio de armas, munições e explosivos, homicídios e tráfico de drogas. O grupo usava menores de idade para a execução dos crimes. Também eram responsáveis pela entrada de drogas em unidades prisionais.

Os réus foram condenados por crimes como tráfico de drogas, venda e posse de armas de fogo, receptação e organização criminosa.

Além das penas, foram determinadas multas que ultrapassam R$ 1,7 milhão. Os condenados, que estão presos desde a operação, iniciarão o cumprimento das penas em regime fechado.

A Operação Argos foi realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Varginha e da 4ª Promotoria de Justiça de Três Corações.

Relembre o caso

Na operação, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e 28 de prisão preventiva. As ações aconteceram em Três Corações, Varginha, Cambuquira, Boa Esperança e Carmo da Cachoeira.

As investigações duraram dez meses e apuraram que o grupo era comandado do interior da Penitenciária Regional de Três Corações, arquitetando ainda homicídios de concorrentes e rebeliões.


Curta o Varginha Digital no Facebook e acompanhe as notícias também pelo Instagram.

Voltar para a Página Inicial

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome