Operação Calhambeque acontece em Varginha e Elói Mendes

Foto: Manoela Borges/EPTV

A segunda fase da Operação Calhambeque combate receptação e comercialização de carros e peças roubadas.

Foi realizada nesta quarta-feira, 17, a segunda fase da Operação Calhambeque, que combate a receptação e comercialização de carros e peças roubadas.

A ação foi fruto do trabalho do Ministério Público (MPMG), por meio do Gaeco, núcleo Varginha, em conjunto com a Promotoria de Justiça de Elói Mendes.

Segundo a Polícia Militar, um dos sete mandados foi cumprido na cadeia de Elói Mendes. O suspeito já estava preso e teve sua assinatura colhida. Outros três suspeitos já haviam sido encaminhados para a delegacia de plantão de Varginha (MG).

O grupo trazia do estado de São Paulo para Varginha e Elói Mendes carros furtados, roubados ou fruto de estelionatos contra seguradoras. Os carros eram desmanchados e as peças vendidas.

A estimativa é que o esquema de sinistros fraudulentos, em 2016, causou prejuízo de R$520 milhões, segundo a Confederação Nacional de Empresas de Seguros.

Conforme o Gaeco, um advogado da organização, que possui envolvimento ativo com a prática dos crimes, também teve a prisão preventiva decretada.

Primeira fase

Na primeira fase da operação, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão e 16 mandados de prisão preventiva.

Durante o cumprimento dos mandados de busca, diversos veículos adulterados e produtos de crime foram encontrados. Ao todo 12 foram presas em flagrante.


Curta o Varginha Digital no Facebook e acompanhe as notícias também pelo Instagram.

Voltar para a Página Inicial

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome