Poços de Caldas registra tremor de terra na tarde desta terça-feira

O Observatório Sismológico da UNB (Universidade de Brasília), registrou um tremor de terra de magnitude 2.2 na tarde desta terça-feira (17).

Os moradores de alguns bairros de Poços de Caldas relatam que o tremor ocorreu por volta das 18:30.

Nas redes sociais os moradores alegaram que ouviram um estrondo e sentiram o chão tremer. Alguns relataram ter ouvido um barulho tipo um trovão.

Nenhum incidente foi registrado de acordo com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

Esta não foi a primeira vez que Poços de Caldas registra um tremor de terras, em janeiro de 2017 outro tremor foi registrado com magnitude de 3.2. Em 1995 houve um tremor que registrou a magnitude 2.1. Segundo a UNB, o maior tremor que a cidade já sentiu foi na década de 50, com magnitude de 3.9.

Segundo a UNB, a região de Poços de Caldas tem atividade sísmica frequentemente. O setor de geofísica da cidade afirma que o tremor pode ter sido causado por uma falha geológica na região.

“O que a gente tem como suspeita é uma zona de falha geológica que se movimenta, que pode estar se acomodando. Acomodação muito mínima que libera essa energia de pequena magnitude”, explica o geofísico da UnB, George Sand França.

Desde 2010, a UNB monitora os abalos sísmicos e a região de Poços de Caldas já registrou 10 tremores.

“Este tipo de magnitude não é uma preocupação grande. As pessoas vão sentir, mas em regiões no máximo 150 km da região de atividade. Mas não é pra causar rachaduras ou outros tipos de estrago. Não é pra sentir nada nesses casos, só uma tontura, um pequeno tremor”, comenta o geofísico.

O geofísico descarta qualquer relação do tremor em Poços de Caldas com a formação vulcânica da região. “O vulcanismo é extinto nessa região do Brasil, não tem atividade vulcânica. O tremor certamente não é consequência disso, está ligado à falha geológica”, explica.

“A terra de uma forma geral é muito difícil entender. As regiões no extremo dos continentes sentem mais abalos, é onde tem terremoto. Em uma região central também tem pressão na terra, como no Brasil, que é no meio de placas. E só vai movimentar onde tem rachaduras, ou falhas, como deve ser o caso de Poços de Caldas”.

Fonte: G1

Veja mais em Notícias da Região

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome