Após quase 1 ano, bombeiros já fizeram buscas em 95% da área da barragem de Brumadinho

Brumadinho
Foto: CBMMG

Atualmente, 11 desaparecidos,
vítimas do desastre de Brumadinho.

Após quase um ano de buscas, a equipe do Corpo de Bombeiros já vasculhou 95% da área da barragem de Brumadinho.

Nesta fase das buscas, em que a equipe trabalha em uma profundidade de 3 metros, foram encontradas 259 vítimas identificadas. Atualmente, 11 desaparecidos são procurados em 1% da área, restando 4%. 

Quando toda a área for devolvida a 3 metros de profundidade, a região será novamente vasculhada a novas profundidades. 

Já trabalharam mais de 3.200 homens do CBBMG, de diversos estados e de Israel, em cinco fases distintas (veja abaixo). Várias equipes do Sul de Minas foram para a região ajudar nas buscas, veja mais aqui e aqui.

As buscas são orientadas por um extenso trabalho de inteligência, validado por recursos de tecnologia da informação. Foram feitas pesquisas sobre o comportamento dos desaparecidos. A equipe conta com filmagens de antes do rompimento para saber a rotina das pessoas.

“Analisamos quantas vezes saía para fumar, onde estava , onde operava, que veículo utilizava. Um trabalho árduo da inteligência para as equipes em campo trabalharem com ações cirúrgicas nesta que é a maior operação de busca e salvamento do Brasil”, explica o tenente coronel Alysson Malta, comandante das operações do CBBMG em Brumadinho.

Os Bombeiros foram os primeiros a chegar na área do desastre e serão os últimos a sair. “A operação só vai acabar quando todos os desaparecidos forem encontrados ou quando o estado de decomposição não permitir encontrar mais nenhum segmento”, define o tenente coronel.

Fases da operação

Fase 1 

Reação ao rompimento Primeiras 72 horas 

  • Todos os recursos foram lançados em campo. Buscas por 24h e 195 pessoas acabaram salvas com vida

Fase 2 

Planejamento Operacional – Dias 4 a 40 

  • Buscas superficiais em todo terreno com homens todo local
  • Construção de acessos
  • Demolições de estruturas
  • Solicitação de recursos de outros estados

Fase 3

Rotina Operacional – Dias 41 a 60

  • Utilização intensificada de cães, Escavações em áreas localizadas pelos animais
  • Emprego de maquinário pesado
  • Entrevistas com familiares e colegas de profissão para traçar onde estavam os desaparecidos

Fase 4

Rotina Operacional – Dias 61 ao 200 

  • Escavações pontuais com cães
  • Mapas organizando todas as informações 
  • Magnetômetro de drone com radar sobrevoando e mostrando grandes estruturas para serem escavadas Escavações até 17 metros de profundidade

Fase 5

Busca na camada de 3 metros – Dia 201 ao atual

  • Utilização combinada com perfuratriz para permitir um trabalho mais minucioso
  • Programa de computador que consolida dados em maoas
  • Tendas para trabalho na chuva
  • Estação de Tratamento de Minério a Seco (ITMS)

Com informações do portal Uai.

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome