Morre mais uma vítima de meningite em Varginha

hospital humanitas
Foto divulgação

Segunda vítima de meningite morre em Varginha. A paciente se encontrava internada desde terça-feira no Hospital Humanitas

A vítima estava internada no Hospital Humanitas desde terça-feira (22). Segundo o hospital, o quadro de meningite bacteriana Streptococcus pneumonia evoluiu e levou a paciente à morte encefálica.

O hospital não revelou mais detalhes do atendimento à paciente. Ainda conforme nota, diferente do último caso, de uma jovem de 19 anos, não foi preciso aplicar a profilaxia nas pessoas próximas à vítima. O motivo é o tipo de bactéria diferente.

Outro caso de meningite em Varginha

O primeiro caso de outubro foi registrado no dia 12. A jovem Sabrina Marcelino de 19 anos deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em estado grave.

A jovem deu entrada na unidade às 17h24, com dor de cabeça, febre, vômito e feridas nos membros inferiores. Por volta das 21h20, a paciente sofreu uma parada cardiorrespiratória e a equipe médica iniciou os procedimentos de reanimação, mas não obteve sucesso.

A morte foi confirmada às 22h. Na data, os familiares foram orientados e os exames foram levados para análise em Belo Horizonte.

Segundo dados da Secretária de Estado de Saúde de Minas Gerais, em Minas Gerais, já são 86 mortes. Na regional de Alfenas, foi uma morte e na de Pouso Alegre, quatro.

A doença

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por diversos agentes infecciosos (bactérias, vírus ou fungos).

A meningocócica é uma meningite bacteriana e, junto com a pneumocócica, é considerada uma das formas mais graves e preocupantes da doença.

O diagnóstico das meningites é feito por meio de exames de sangue e líquido cerebroespinhal (líquor). São eles que determinarão o tipo da doença e, com isso, a conduta que será adotada pelos médicos.

No caso das bacterianas, o tratamento é feito com antibióticos, associados ou não a corticoides, de 7 a 14 dias. A internação normalmente é necessária.

Recomendações

Em caso de suspeitas da doença, é recomendado:

Procurar os serviços de saúde UPA e Pronto Atendimento sempre que apresentarem sintomas como: dor de cabeça, vômitos, febre alta, rigidez de nuca (pescoço endurecido), manchas no corpo.Não tomar medicamento sem prescrição médica, principalmente antibiótico;Notificar os casos suspeitos, para o Setor de Epidemiologia. Colocar o calendário de vacina em dia, principalmente da criança.

Fonte: EPTV Sul de Minas

Veja também

Voltar para a Página Inicial | Curta o Varginha Digital no Facebook

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome