Varginha entra com defesa contra ação do Estado para obrigar a cidade a entrar na onda roxa

Prefeitura de Varginha
Prefeitura de Varginha
Publicidade

Até que o judiciário decida, Varginha continua fora da onda roxa.

Varginha já apresentou a defesa contra a ação civil pública movida pelo Governo de Minas, e com isso continua, por enquanto, fora da onda roxa.

De acordo com o Procurador do Município, Evandro Marcelo dos Santos, a decisão agora cabe ao poder judiciário. “Se o poder judiciário entender que Varginha deve entrar na onda roxa, o município de Varginha imediatamente atende a decisão, já é uma determinação do prefeito, porque o município cumpre a lei e segue o que a justiça determinar. Agora se por ventura o judiciário também negar o pedido de tutela de liminar do Estado, que também é uma possibilidade e é nisso que nós acreditamos, a nossa sustentação vai nesse sentido, o município fará da forma que vem fazendo”, explicou Santos em entrevista coletiva desta quinta-feira, 25.

Publicidade

De acordo com Verdi, a cidade não entrou na onda roxa porque o município tem obtido resultados positivos com os decretos municipais que vem publicando. “Melhoramos um pouco agora e a economia precisa sobreviver. Precisamos dar o fôlego. Se eu fechar tudo como é que vai fazer? A vida em primeiro lugar sim, mas como vamos fazer? Nós vamos morrer de fome ou de COVID-19? Como está a vida das pessoas? É uma situação muito difícil”, afirmou prefeito na coletiva.

Vérdi falou ainda sobre o comportamento dos varginhenses, que estão desrespeitando as medidas impostas para conter o avanço da COVID-19 na cidade. Já foram aplicadas 304 multas e 65 interdições de estabelecimentos nos últimos dias.

“Não adianta tapar o sol com peneira. Eu não quero culpar comércio, o que eu estou culpando aqui é a população, porque chega no fim de semana é rancho, é sitio, é chácara. Nós não conseguimos fiscalizar tudo, porque é muito espalhado. A população precisa entender que o momento é crítico”, diz.

Ainda na coletiva o prefeito comunicou a prorrogação do Decreto Emergencial. Veja mais aqui.

Entenda a ação do Governo de Minas

O Governo do Estado de Minas Gerais entrou com uma ação civil pública contra a Prefeitura de Varginha. A ação pede para que o município siga a onda roxa do programa Minas Consciente, sob multa diária de R$ 500 mil.

Segundo consta no documento, Varginha está permitindo a ampla circulação de pessoas e o funcionamento de bares e do comércio não essencial no momento em que o sistema de saúde público está em colapso, devido ao agravamento da pandemia de Covid-19. O documento pede para que a cidade proíba as atividades não essenciais em todo o município.


Novos Caminhos: plataforma oferecerá curso de especialização para professores

Se você encontrou alguma imagem ou texto em que os direitos autorais não foram creditados, por favor, entre em contato conosco para efetuarmos a correção.

Varginha Digital
Notícias de Varginha e do sul de Minas direto no seu celular.
Varginha em um clique!

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Insira seu comentário
Por favor digite seu nome