Caso Mary Hellen: ‘Perdão real não será possível neste momento’

Publicidade

A mineira Mary Hellen está presa na Tailândia desde fevereiro deste ano.

A mineira Mary Hellen não conseguirá o perdão real no momento. De acordo com o advogado Telêmaco Marrace, a mineira não terá direito ao benefício por não ter cumprido 1/3 da pena, que é uma nova regra após as mudanças legislativas na Tailândia.

A jovem foi condena na última semana a 9 anos e 6 meses de prisão, sendo dois anos, por crime civil e 7 anos e 6 meses por crime penal.

Mesmo com a negação do perdão real, ainda há a esperança de um indulto real, que considera os antecedentes de cada solicitante do perdão real, bem como a natureza do crime pelo qual foram condenados e sua pena de prisão. “Nesse ponto reafirmo que Mary Hellen tem bons antecedentes e poderia se encaixar, pois ainda pesa a pouca idade e a forma de aliciamento, por ser de família vulnerável financeira no Brasil e alvo fácil a ser convencida”, disse Marrace em entrevista ao G1.

Nos últimos dois anos o governo da Tailândia concedeu quatro indultos reais.

Publicidade

O Itamaraty, por meio da Embaixada em Bangkok, informou que acompanha a situação, prestando-lhe toda a assistência cabível, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local.

Veja também:

Mineira é condenada na Tailândia por tráfico de drogas
Prisão de mulher suspeita de aliciar brasileiros para tráfico de drogas pode ajudar minera
Mineira presa na Tailândia: jovem pode escapar de pena de morte
Mineira presa na Tailândia pode ser condenada a pena de morte

Entenda o caso

Desde fevereiro, Mary Hellen Coelho Silva, de 22 anos da cidade, de Pouso Alegre, está presa com outros dois brasileiros na Tailândia, por suspeita de tráfico internacional de drogas. Os três foram presos no aeroporto de Bangkok. No país asiático o crime de tráfico de drogas pode gerar pena de morte.

A jovem mineira tinha saído de Curitiba, com outro brasileiro de 27 anos que também foi preso. Outro rapaz de 24 anos que chegou em outro voo também foi preso.

De acordo com autoridades da Tailândia, os três estavam com 15,5 quilos de cocaína. Uma parte da droga estava com Mary Hellen e o amigo de 27 anos e o restante com o homem de 24 anos. 

A prisão aconteceu depois que funcionários do aeroporto desconfiaram dos passageiros e encontraram a droga em um compartimento oculto da mala deles. 

O Itamaraty informou que, por meio da embaixada de Bangkok, acompanha a situação e presta toda assistência aos brasileiros. A Tailândia é um dos países onde o tráfico de drogas pode ser punido com pena de morte, dependendo da quantidade e das circunstâncias.

Veja mais notícias no Varginha Digital

Siga o Varginha Digital no

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui